Vozes/Poesia em Vários Tons/Poesias Brasileiras/Um Passeio por Minas Gerail/A Poesia de Ineifran Varão vols.I e II/Poemas Brasileiros/Causos e Cordéis/Varano/Varano, o poema sonoro

domingo, 27 de novembro de 2011

NA SOMBRA DE UM PÉ DE IPÊ













Na sombra de um pé de ipê,
Peguei u’a flor amarela,
Dei de presente a você,
Que é a flor vermelha mais bela!

Você pegou minha mão,
Sentamos, a conversar,
E o tempo disse que não
Veria esse amor findar...

De fato, o tempo passou,
Entre nós o amor cresceu
E o tempo outro dia falou
Que de nós nunca esqueceu!

Voltemos àquele ipê
Onde nosso amor nasceu...
De novo eu e você,
Só nós dois, você e eu!

Quero outra flor amarela
Te dar com todo carinho,
Mas... Serás sempre a mais bela
A enfeitar nosso ninho!

Leave your comments
Deixe seu comentário

sábado, 26 de novembro de 2011

MORTA ILUSÃO

Despenca acabrunhada a ilusão,
Na fuga do infortúnio que a persegue!
O mundo a lhe mostrar a face entregue
É um lume a clarear sua razão...

O túnel que se fecha à sua frente
Não cabe o que não é de seu costume.
Na escuridão, é tênue a luz do lume...
Abate-se a ilusão sofregamente...

Vislumbra a esperança, à vez primeira,
Mas, ríspida, uma escarpa aponta e corta!
Morta, a ilusão despenca na ladeira!

Cerrando-se a janela e a estreita porta,
Despede-se da vida derradeira...
Cerra-se o túnel... Já é ilusão morta!

Leave your comments
Deixe seu comentário

domingo, 6 de novembro de 2011

NO VERDADEIRO BEM... MORA O AMOR

A quietude d’alma é como o abraço:
Não cabe irritação mera ou banal,
Não há o tédio, mesmo sazonal,
A não ser por razão de algum cansaço...

Se n’alma há mais ternura, há mais bonança,
A paz faz sua morada e traz a luz!
Transcende às outras almas, lhes conduz,
Jamais suscitará desesperança!

Na calma e na quietude, passo a passo,
Vão se afinando as cordas no compasso,
Como se afinam cordas de violão!

No verdadeiro bem... Ah... Mora o amor...
Não há espinho agudo a causar dor,
Não há ira, nem tédio ou irritação!

Leave your comments
Deixe seu comentário

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

PRATIQUE O BEM

Queria que hoje fosse de alegria.
Queria que a tristeza fosse embora,
Passasse por aqui em outra hora,
Quando “ já fui embora” eu lhe diria...

O meu querer tem força, é positivo,
Foi eu pensar assim, foi-se a tristeza,
Dando lugar em mim a uma grandeza,
Que me curou, não foi só lenitivo!

Pense no bem, a alma se renova!
Até a Física Quântica comprova!
Aumenta a nossa chance de viver!

Estava triste, agora estou contente,
Ação e reação, lei coerente.
Pratique o bem, que o bem virá lhe ver!

Leave your comments
Deixe seu comentário