Vozes/Poesia em Vários Tons/Poesias Brasileiras/Um Passeio por Minas Gerail/A Poesia de Ineifran Varão vols.I e II/Poemas Brasileiros/Causos e Cordéis/Varano/Varano, o poema sonoro

sábado, 27 de fevereiro de 2016

LINDA ESTRELA (em homenagem)


Achei-te ali, tão linda e tão fagueira!
Teus olhos de esmeralda, cintilantes,
fizeram-me entrever, por uns instantes,
a alvura da tu’alma... pura... inteira!

Tocar-te inda pensei, seria asneira;
estávamos ali, mas bem distantes...
eu, pasmo, ante teus olhos tão brilhantes,
e tu a mais serena e verdadeira!

De súbito, me vi tão pequenino,
como era nas histórias que, menino,
ouvia pra dormir... até bem tarde...

Lembrei que havia no céu u’a linda estrela,
que eu sempre, da janela, ia vê-la...
hoje de novo a vi, Bruna Lombardi...!

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

RECORDAÇÕES


O vento soprou forte em nossas vidas,
baniu de nós o tédio e a solidão;
de quebra, trouxe o cheiro do sertão,
nas rosas e nas flores bem nascidas!

Caminhos e veredas retorcidas
traçaram nossos rumos desde então,
qual teias desenhadas, bem urdidas,
tecidas no tear do nosso chão!

O mundo era tão grande e nem sabíamos
dos ramos espalhados, pois não víamos
um palmo além de nossos corações!

O tempo foi passando e nós não vimos...
Morreram rosas, flores, nossos mimos...
Sobraram para nós... recordações...!

domingo, 14 de fevereiro de 2016

INTERVENÇÃO (?!)


Perpassa o manto azul do céu distante
e adentra a nuvem branca de algodão
a imagem qual de um sonho delirante!
Não é daqui, também não é balão!

Não é fantasma e nem uma ilusão;
o espaço é livre e temos visitante;
isso acontece aqui a todo instante,
mas não se configura uma invasão!

É a Confederação vigiando humanos,
que nos governos se tornam tiranos,
à beira de uma guerra de extinção!

O humano, no poder, é imperialista,
é mau, é violento e é egoísta!
− Mudemos, ou haverá intervenção!

sábado, 13 de fevereiro de 2016

PINTADA EM TELA


Imaginei-te assim... como tu eras...
sem os sulcos do tempo... tantos anos!
Histórias e conversas... quantos planos
de sonhos, fantasias e quimeras!

Imaginei-te assim... nas primaveras...
na trilha dos desejos mais mundanos;
no meu pensar, pintei-te em oceanos
e nos jardins, nos muros e nas heras!

As cores escolhi, uma por uma,
pra dar a maciez qual de uma pluma,
que tem tua pele doce e encantadora!

Pintada em tela estás, agora, pronta
e lembras muito a lua quando aponta
...a me trazer saudade imorredoura!



quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

FORTUITO ENCANTO


Esbarro, sem querer, nos teus avessos
e encontro-me lá dentro, bem guardado!
Respiro no presente algum passado
e bebo dos momentos mais travessos...

Arrisco-me com suaves arremessos
no rumo do teu peito − inda magoado −
remexo os teus cabelos tom prateado
e escondo-me nos cachos mais espessos!...

Ó bela fantasia radiante,
fortuito, nosso encanto foi bastante,
à luz crepuscular de outro sol-pôr!

Agora, caio em mim, bendito instante,
e vejo, na cor rósea em teu semblante,
o que restou de nós... o nosso amor!

FOLHETIM


Igual um folhetim, andei cidades;
pores do sol eu vi de várias cores;
nos botequins da vida tive amores,
cheios de fantasias e verdades!

Banhei todos os elos com saudades,
no cheiro que é das rosas e das flores;
o tempo um dia roubou-me os seus olores
e nunca mais me trouxe as novidades...

Andei nos corações, andei nas mentes,
andei muitos rincões, plantei sementes,
que, germinadas, nem sabem de mim!...

Indago e calo em mim... a vida segue
e, cada um por si, ninguém percebe
...que é parte desse imenso folhetim!