domingo, 8 de janeiro de 2012













ETERNO AMOR

A chuva que cai na terra
Molhando todo esse chão
Traz a lembrança que encerra
De ti o meu coração!

Dentro do peito calado
Um pedaço vai chorando
Cá fora o olhar marejado
Nem vê que ‘tá’ se molhando!

É que a chuva vem ligeira
Com ela vem a lembrança
Saudosa da vez primeira
Que te chamei de esperança!

Numa noite de inverno
Debaixo de um pé de flor
Juramos amor eterno
Eterno é, pois, nosso amor!

Leave your comments
Deixe seus comentários